Biblioterapia: estudo avalia impacto dos livros na saúde

 In Notícias

Crianças, adultos com saúde mental debilitada, cuidadores, profissionais de saúde e contadores de histórias envolvidos em projetos de biblioterapia registam benefícios na saúde. Esta é uma das conclusões do estudo “Biblioterapia em contexto hospitalizar na promoção da literacia em saúde: a eficácia da storytelling”, de Cristina Vaz de Almeida (coordenadora), Alexandra Pinto e Cecília Nunes.

O projeto Nuvem Vitória – equipas de voluntariado contam histórias de embalar, todas as noites, a crianças que estão longe dos seus ambientes familiares – serviu de estudo de caso para este estudo sobre biblioterapia. Sobre o qual são retiradas as seguintes conclusões:

 

– a intervenção, através das histórias e da criatividade usada junto de crianças hospitalizadas, permite melhorar o bem-estar destas crianças e intervenientes (pais e contadores de histórias);

– permite também melhorar a literacia em saúde das crianças internadas na dimensão da melhor compreensão e aceitação do uso dos instrumentos, dispositivos e outros equipamentos hospitalares, como sondas, agulhas e outros;

– as histórias contadas num determinado contexto (hospitalar) permitem que a biblioterapia tenha um papel relevante nos resultados terapêuticos para um maior bem-estar e contribuição geral para uma melhor literacia em saúde dos seus destinatários (incluindo pais e profissionais de saúde).

 

“Para além dos efeitos terapêuticos parece-nos haver aqui um fenómeno de melhoria da literacia em saúde de doentes e cuidadores nos aspetos da compreensão e do uso dos serviços de saúde, neste caso, hospitais e os seus dispositivos médicos diversos”, referem as autoras. E concluem, ainda que os resultados mostraram que ler livros ilustrados animados, por pessoas com determinado perfil, e em contexto hospitalar, pode ser eficaz na redução da ansiedade e distúrbios comportamentais em crianças após a cirurgia, tal como mostrado em estudos anteriores.

 

Além do projeto “Nuvem Vitória”, serviu também de estudo de caso o projeto “Arte No Olhar”: Cinematerapia e Biblioterapia em Hospital de Dia. Com este projeto piloto, direcionado a uma população adulta, com problemas de saúde mental, concluiu-se que as terapias foram eficaz na diminuição de sintomatologia depressiva e ansiosa, bem como nas alterações dos perfis de personalidade dos doentes.

Recent Posts