Ser voluntário

Ser voluntário, em ambiente hospitalar, exige uma série de boas condutas, que não ponham em causa nem a nossa saúde, nem fragilizem ainda mais a dos doentes.

Na conduta específica dos voluntários do projeto “Nuvem Vitória” é determinante ter em conta que somos acolhidos por profissionais de saúde (sempre a prioridade), e desenvolvemos a nossa ação no período noturno, o que implica uma atitude muito mais delicada – de forma transversal.

É por isso pressuposto que cada voluntário preencha os seguintes requisitos:
 

  • Ter mais de 21 anos;
  • Ser responsável, cumpridor(a) e pontual;
  • Estar disponível 2 a 8 noites por mês;
  • Cumprir escrupulosamente o manual de conduta fornecido no momento em que integra a equipa de voluntariado;
  • Estar disposto/a a integrar o processo de pré-seleção e restantes formações a acontecer, nomeadamente em nos fins-de-semana e período pós laboral;
  • Disponibilizar o registo criminal.

Para além disto, quando alguém deseja ser voluntário da Nuvem Vitória deve ter em consideração o seguinte: 

  • No início de cada sessão, deverá aferir junto dos pais e da criança se existe predisposição para o receber – respeitando sempre a vontade da criança, não se impondo;
  • A pontualidade ou o pré-aviso atempado de indisponibilidade são condições absolutas;
  • Deverá cuidar sempre da sua higiene pessoal, usar roupa e calçado confortável, bem como a t-shirt “Nuvem Vitória”; sempre que solicitado pelos profissionais de saúde, deverão ser usadas máscara , luvas e/ ou bata;
  • Antes do iniciar a ação, a equipa reúne-se em horário pré-definido, entrando em conjunto para um briefing com um dos enfermeiros, que deve ser escutado sem interrupções;
  • Não deverá fazer perguntas sobre as crianças, que possam invadir a esfera da sua vida privada ou situação clínica nem deverá pactuar com qualquer conversa de terceiros, que envolva pais, pacientes, etc.;
  • O voluntário “Nuvem Vitória” deverá evitar atrapalhar a circulação e usar sempre de um tom de voz baixo – mesmo, e sobretudo, na narração da história;
  • Antes de iniciar a sessão, pedir autorização para tornar o ambiente mais acolhedor e propício à mesma: troca da luz do teto pela da cama (ou de presença, consoante os casos), e desligar a TV;
  • Em qualquer situação, é estritamente proibido tirar fotografias ou gravar;
  • O voluntário não deverá ter contacto físico com a criança – salvo situações concretas de exceção (ex. um carinho para adormecer ou acalmar) e nenhuma criança deverá ser pegada ao colo.
Direitos e deveres

Para além destas indicações, existe um manual de procedimentos que é lido e assinado pelos voluntários e que requer consulta regular de forma a não esquecer o funcionamento da Nuvem Vitória. 

Preencha abaixo o formulário de subscrição para ser voluntário:

A lei

Através do link, conheça a Lei 78/98 de 3 de Novembro que contem as bases do enquadramento jurídico que visa promover e garantir a todos os cidadãos a participação solidária em ações de voluntariado: 

 
http://www.voluntariado.pt/preview_documentos.asp?r=116&m=PDF